sexta-feira, 17 de junho de 2016

Ser magra, não é assim tão fácil e bonito!

{Imagem retirada do Google Imagens}
 Eu sempre tive a ‘sorte’ de ser magra afinal de contas nunca tive uns quilinhos a mais. Ainda assim, ao contrário do que muita gente acha ou pensa eu não lhe chamaria de sorte pois sinto-me bem com o corpo que tenho embora ache que também não me sentiria mal se tivesse uns quilinhos a mais.
 Um corpo absurdamente magro, de preferência com um bom par de mamas, um rabo bem jeitoso e uma barriga tão lisa quanto a tábua de engomar é neste momento o padrão de beleza feminino ou por outras palavras, o sonho de qualquer adolescente ou mulher e por isso ser-se magra neste momento é ser-se sortudo!
 No entanto não acho que ser-se magra seja sinónimo de beleza até porque há raparigas que quase parecem um esqueleto ambulante daqueles que costuma haver nas salas de ciências e muito menos acho que seja fácil ser-se magra mesmo quando não é preciso ter uma alimentação saudável e frequentar o ginásio, como é o meu caso, ser-se magra também tem o seu lado negro. É verdade, as pessoas magras também sofrem de bullying e ouvem comentários desagradáveis tanto quanto as pessoas gordas, não são consideradas obesas mas são consideradas anoréticas e/ou bulímica mesmo que não o sejam, ser-se magra não significa que tenhamos um bom rabo e umas boas mamas e embora caibamos em qualquer número de roupa, os números que se ajustam melhor ao nosso corpo muitas vezes são as infantis.
 Eu não me deixo rebaixar por ser magra ou gorda, sinto-me bem tal e qual como sou mesmo que gostasse de ter um bocadinho mais de formas mas com isto tudo quero dizer que ser-se verdadeiramente bonita é sermos tal e qual como somos quer seja-mos altas, baixas, magras, gordas, brancas, amarelas ou pretas e não há nada de errado nisso por isso não deixem que ninguém, nem mesmo vocês se rebaixem por serem tal como são pois cada pessoa é bonita á sua maneira!
 
 E claro, o mesmo se aplica aos meninos…